275046348_131041119438655_1542627891874264761_n

Banda da Covilhã + Orquestra de Malabares

4 de setembro // 22h // Palco Anfiteatro

Banda da Covilhã + Orquestra de Malabares, é um espetáculo para todos que reúne em palco seis malabaristas da companhia espanhola PistaCatro Produtora e dezenas de músicos da Banda da Covilhã. Uma divertida junção de música e circo, num concerto onde os malabares são os bailarinos de um ballet aéreo. Clarinetes, saxofones e trompetes são os pintores dum quadro expressionista, em que bolas, malabares e aros desenham no ar os sentimentos e emoções que a música e o circo transmitem.
Os músicos da Banda da Covilhã participam quase como atores, num espetáculo com instrumentos dourados, grandes tambores, pratos, camisas brancas, uniformes e magistrais obras clássicas, mas também com calças curtas, t-shirts, óculos de sol, funk, punk, blues e pop.

Banda da Covilhã

A história da Banda da Covilhã perde-se no tempo, havendo registo da sua
atividade em 1870, mais propriamente no dia 20 de outubro, dia em que a Covilhã foi elevada a cidade pelo rei D.Luís I.

Com altos e baixos, ora tendo
atividade ou não, sabemos que no dia 1 de dezembro de 1944 a banda saiu à
rua ao som do hino da restauração e que até aos dias de hoje nunca mais parou a sua atividade, comemorando no dia 1 dezembro de 2022 o 152º aniversário da sua história.

A vida atual da Banda da Covilhã é hoje um marco no mundo filarmónico com um projeto social, pedagógico, artístico, cultural e musical. A sua principal aposta é a formação através da Academia de Música da Banda da Covilhã, com mais de uma centena de alunos.

É responsável por dezenas de projetos na área da música, tais como: o estágio da banda sinfónica da Covilhã, as férias dó-ré-mi, o concurso internacional de talentos nos sopros e percussão, os padrinhos da música, entre muitos.

A Banda da Covilhã conta com cinquenta e cinco músicos e dirigem a banda os maestros Carlos Almeida (titular), Simão Francisco (maestro convidado), sendo presidente e diretor artístico o Prof. Eduardo Cavaco.

Orquestra de Malabares

À semelhança do homem, o circo, na sua evolução geométrica rumo ao futuro, penetra por todas as portas, janelas e frestas do panorama cénico. Neste caso, ocupa os espaços vazios entre as estantes de música e as cadeiras dos músicos de uma banda portuguesa.

A Orquestra de Malabares é um espetáculo que coloca em cena seis malabaristas e uma banda filarmónica, numa relação entre música e circo, tradição e inovação, sendo um dos projetos mais originais e pioneiros do cenário cultural da Galiza.

O facto de se combinar uma banda de música com um espetáculo de malabarismo traz uma força especial que valoriza artisticamente a banda, por se trabalhar em conjunto com os músicos que a integram, e assim criar sinergias de colaboração entre diferentes entidades culturais, internacionais.

Em 2018 a produtora PISTACATRO completou dez anos de desenvolvimento cultural pioneiro na Galiza, na área do novo circo, sempre com a integração de profissionais das artes circenses. O objetivo do seu projeto é poder levar o espetáculo a diferentes centros socioculturais para ser apreciado por todos.

A Orquestra de Malabares é mais que uma sequência de obras musicais e uma repetição de exercícios malabarísticos com maior ou menor dificuldade. É pura poesia em movimento, que dá visibilidade a uma forma única de linguagem musical. Uma experiência única de trabalho em conjunto que, até ao momento, não é muito replicada pelo mundo, e na qual se trabalham diversas linguagens musicais.

 

Partilhar

Contactos

Centro Social da Ermegeira

Rua Cidade de Torres Vedras, nº2

2565-433 Ermegeira, Torres Vedras


geral@contrapasso.pt

apoios@contrapasso.pt

Tel: +351 918 908 752